top of page

Dicas para acertar a acentuação gráfica

Vamos te ajudar a se lembrar de algumas regras importantes. Vamos lá?




1 - ENTENDA O QUE É TONICIDADE


Trata-se de reconhecer a sílaba tônica, que é a mais “forte” das palavras, ou seja, a que tem o som mais intenso. As demais são chamadas de sílabas átonas. Existem três classificações de palavras de acordo com a tonicidade:

  • oxítonas — palavras cuja tônica é a última sílaba. Exemplo: ca-, tam-bém, a-ba-ca-xi;

  • paroxítonas — palavras cuja tônica é a penúltima sílaba. Exemplo: me-sa, li-vro, a-cro-ba-ta.

  • proparoxítonas — palavras cuja tônica é a antepenúltima sílaba. Exemplo: prín-ci-pe, pás-sa-ro, -ti-ma.



2 - CONHEÇA A FUNÇÃO DE CADA ACENTO


  • agudo (´) — indica a tonicidade da sílaba, com timbre aberto. Exemplo: pé, forró;

  • circunflexo (^) — indica a tonicidade da sílaba, com timbre fechado. Exemplo: vovô, crochê. Também serve para identificar a forma plural de alguns verbos na 3ª pessoa. Exemplo: (ele) tem, (eles) têm;

  • grave (`) — no Português, só é utilizado para indicar a crase. Exemplo: ir à escola;

  • til (~) —representa a nasalização de uma vogal, normalmente em ditongos nasais. Exemplo: mãe, irmão, eleições.


3 - SAIBA QUANDO UTILIZAR A ACENTUAÇÃO GRÁFICA


Oxítonas

Oxítonas terminadas em -a(s), -o(s), -em e -ens recebem acento agudo ou circunflexo, para timbres abertos e fechados, respectivamente, mesmo que sejam monossilábicas.

  • Exemplos: , so-, me-trô, nin-guém, pa-ra-béns.

Paroxítonas

A maior parte das palavras do Português são paroxítonas. As sílabas tônicas são acentuadas (com acento agudo ou grave, dependendo da abertura), quando a palavra termina em -l, -is, -u(s), -r, -x, -ão(s) e -um(-uns).

  • Exemplos: es--ril, -nis, -rus, ca--ter, -rax, bên-ção, -rum.

Além disso, palavras paroxítonas terminadas com ditongos (como -ua, -ia, -ei e -io) também recebem o acento.

  • Exemplos: á-gua, ân-sia, -rio.

Proparoxítonas

Agora, a regra mais simples: todas as proparoxítonas têm sua sílaba tônica acentuada (com acento agudo ou circunflexo, conforme a abertura).

  • Exemplos: ín-gre-me, sín-dro-me, ar-qué-ti-po, es-te-re-ó-ti-po, di--mi-co, e--me-ro, ân-gu-lo.


4 - USE A CRASE CORRETAMENTE


A crase é utilizada quando há a contração entre a + a.

Normalmente, esse encontro ocorre quando existe uma preposição “a”, seguida de um artigo feminino “a(s)”, de um substantivo feminino ou de um pronome iniciado em “a” (“aquela/aquele”).

  • Exemplo: “foi a + a reunião” = foi à reunião

Perceba que há um artigo contraído antes de “reunião”. Basta trocar o substantivo por um equivalente masculino para ver: “foi ao (a+o) encontro”.


A crase também é utilizada antes das horas (“o encontro é às 17h”), e de locuções adverbiais femininas (“às vezes”, “às pressas”).



5 - ESTUDE O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO


O Novo Acordo Ortográfico já fez 10 anos de vigência e algumas mudanças propostas na reforma ainda geram dúvidas. Veja as principais delas:

  • o acento diferencial só é utilizado agora para diferenciar flexão verbal de número, como em “tem/têm,” e “vem/vêm”. Nos demais casos, ele não existe mais. Antes, era utilizado para diferenciar palavras homófonas, como “pára” (forma verbal) e “para” (preposição);

  • o trema (¨) não existe mais, é mantido apenas em palavras estrangeiras, como “Müller“;

  • o acento circunflexo não é mais usado em hiatos (“ee”, “oo”). Exemplo: “enjôo” passa a ser “enjoo”;

  • palavras paroxítonas cuja sílaba tônica contém um ditongo aberto (“ei” e “oi”) não têm mais acento. Exemplo: “i-déi-a” passa a ser “i-dei-a”;

  • palavras paroxítonas cuja sílaba tônica vem depois de um ditongo não têm mais acento. Exemplo: “fei-ú-ra” passa a ser “fei-u-ra”.



E LEIA MUITO!

Quanto mais você lê, melhor escreve! Por isso, se você ainda não tem esse hábito, que tal começar?


Faça uma lista de títulos e tente ler pelo menos um por mês. Estabeleça uma meta — por exemplo, 20 ou 30 páginas por dia.


Acredite: A importância da leitura vai desde a melhoria no seu desempenho em Português até o desenvolvimento do senso crítico e de uma visão de mundo mais ampla.


Estudar a acentuação gráfica não é tão difícil assim, mas depende de treino e entendimento das regras de tonicidade para se tornar mais natural. Para tanto, os melhores caminhos são criar resumos, fazer exercícios e, ler muito!


Comments


bottom of page